GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Segurança alimentar: Saiba como evitar agrotóxico


Os alimentos costumam conter mais agrotóxico geralmente possuem um ciclo de amadurecimento mais longo, recebendo mais pulverizações, como o tomate e o pimentão.  Por isso, é necessário muito cuidado na hora de comer.

Confira os graus de contaminação de frutas e hortaliças:

Frutos
Alto risco: morando, goiaba, uva, maçã, nectarina, mamão papaia, figo, melão, pêssego e tomate (recebe em média 36 pulverizações).
Médio risco: banana, manga, abacaxi, melancia, laranja, mamão formosa e maracujá.
Baixo risco: caqui, pitanga, acerola, jabuticaba, coco, tangerina comum, tangerina ponkan, abacate e nêspera.

Legumes
Costumam ser mais delicados para produzir devido ao ataque de pragas e doenças. Ex: pimentão, berinjela, pepino e abobrinha.

Raízes, bulbos e tubérculos
Apresentam um ciclo de vida médio e por isso recebem maior número de pulverizações. Ex: beterraba, cenoura e alho

Folhas
Por terem um ciclo de vida curto são os vegetais que recebem menos agrotóxico. Ex: alface, agrião, rúcula, couve, tempero verde.

O que fazer então?

    1. Dê preferência a frutas e verduras da época. Fora da estação adequada, é quase certo que a fruta, verdura ou legume tenha recebido cargas maiores de agrotóxicos. É por isso que, quando você não encontra tomate, cebola ou outros produtos na feira orgânica, é porque não está na época deles. Escolha outro alimento que os substitua em termos nutricionais.


    2. Procure sempre descascar as frutas. Os resíduos de agrotóxicos concentram-se especialmente nas cascas das frutas. Nesse caso, é importante descascá-las, principalmente os pêssegos e maçãs.


    3. Lave bem as frutas e verduras. Use água corrente durante pelo menos um minuto, limpando sua superfície. Ou coloque-as numa solução de água (1 litro) com um pouco de vinagre (4 colheres de sopa), durante 20 minutos. Mas atenção: como a atuação da maior parte dos agrotóxicos é sistêmica (quando aplicado às plantas, circulam através da seiva e por todos os tecidos), descascar e lavar as frutas não garante a eliminação total dos resíduos, somente sua diminuição.


    4. Retire as folhas externas das verduras. Em geral, ali se concentram mais agrotóxicos. Com sua retirada, a carga mais pesada é eliminada.


    5. Diversifique nas hortaliças e frutas. Além de propiciar boa mistura de nutrientes, reduz a chance de exposição ao mesmo agrotóxico usado pelo agricultor.


    6. Dê preferência aos produtos nacionais e de sua região. Alimentos que percorrem longas distâncias, normalmente, são pulverizados depois da colheita e possuem um nível maior de contaminação.

Fonte:
INEA


21 de junho de 2012