GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Reciclagem no Rio de Janeiro


 

A reciclagem no Rio de Janeiro ainda deixa muito a desejar se comparadas com algumas metrópoles mundiais, principalmente as européias. O Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat) revela que a média de reutilização de embalagens de papel, plástico, alumínio, vidro, madeira e metal nos 12 países mais populosos do bloco chegou a 60% em 2009. Atualmente as capitais europeias recuperam cerca de 40% de seus resíduos. 
 
Já na cidade que receberá a Conferência da ONU para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) a situação é bem diferente. O Rio aproveita apenas 3% de seu lixo (252 toneladas das 8.403 geradas diariamente), pois a Comlurb só separa 0,27% e o restante, 2,73%, são deixados para os catadores autônomos ou de cooperativa.
 
De acordo com O Globo ,  um dos motivos para o baixo desempenho da coleta seletiva é que dos 160 bairros da cidade, apenas 41 são atendidos semanalmente de forma parcial em algumas ruas.  A matéria ainda alega que há um desequilíbrio na cidade, pois os caminhões estão mais presentes na zona Sul e Oeste, e não existe esse serviço em favelas.
 
Para a presidente da Comlurb, Angela Fonti, a prefeitura deveria resolver  as causas que levam aos baixos índices de reciclagem. Ela afirma também que a Comlurb nunca fez uma campanha de incentivo à coleta seletiva de lixo.  "A primeira causa é a própria falta de uma campanha maciça em prol da reciclagem, algo que faremos com recursos do BNDES. A nossa coleta precisa ser bem mais abrangente também. A maioria das pessoas quer reciclar seu lixo, mas nossos caminhões não passam em boa parte das ruas" - disse Angela. 
 
Fonte:
Globo


19 de março de 2012