GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

O que aconteceu no Japão?


O Japão ocupa uma área de 377.801 quilômetros quadrados e abriga uma população de aproximadamente 126,9 milhões de pessoas. Seu território está localizado em uma das áreas mais sísmicas do planeta (no limite da placa tectônica Euroasiática), numa zona de convergência de placas tectônicas, denominada “Círculo do Fogo do Oceano Pacífico”.

Essa instabilidade tectônica é consequência de uma zona de convergência que envolve as placas do Pacífico, Euroasiática Oriental, Norte-Americana e das Filipinas. O encontro desses blocos que compõem a camada sólida externa da Terra é responsável por constantes terremotos, tsunamis, além de intensa atividade vulcânica na região.

Portanto, os terremotos e tsunamis são fenômenos relativamente comuns no Japão – dois em cada dez terremotos no mundo com magnitude superior a 6 graus na escala Richter atingem o país. Um dos piores desastres ocorreu em 1993, quando um tremor de magnitude de 8,1 graus atingiu a Região Metropolitana de Tóquio, provocando a morte de mais de 3 mil pessoas.

No entanto, no dia 11 de março de 2011, às 14:46 (2:46 em Brasília), o país foi atingido por um terremoto de magnitude de 9 graus na escala Richter, segundo informações do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), sendo considerado o pior terremoto do Japão e o quarto pior já registrado no mundo.





O abalo sísmico ocorreu a 24 quilômetros de profundidade, com epicentro no oceano Pacífico, a 160 quilômetros da costa. Em seguida, outros abalos de magnitude superior a 5 graus foram registrados. O terremoto desencadeou um tsunami com ondas de até 10 metros de altura que atingiram a costa nordeste do Japão, sobretudo a cidade de Sendai, na ilha de Honshu.

No vídeo cientistas explicam como acontece o abalo sísmico:





As ondas invadiram a cidade e provocaram mortes e a destruição de casas e ruas. Milhões de residências ficaram sem energia elétrica, cerca de 80 estabelecimentos foram incendiados e houve vazamento de material radioativo de uma usina nuclear. Autoridades japonesas divulgaram que 9.079 pessoas morreram e milhares ficaram feridas. Esses danos só não foram piores porque o país possui construções de boa qualidade e realiza treinamentos (simulações) com a população de como agir durante terremotos.





Apesar da grande distância, Filipinas, Havaí e Indonésia foram atingidos por ondas causadas por esse terremoto, porém, não houve destruição.

fontes: Exame, Folha, Super Interessante






 


14 de abril de 2011