GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

MST contra o uso de agrotóxicos


"Vamos agir em várias frentes e quem sabe cheguemos até a fechar alguma fábrica de veneno", afirmou João Pedro Stédile, líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), ao lançar no Dia Mundial da Saúde, uma campanha nacional contra o uso de agrotóxicos e em defesa da vida.

A campanha une 50 entidades das áreas governamental, da academia e de movimentos sociais - MST incluído - na busca de conscientização da sociedade para o risco que correm a população e o meio ambiente expostos aos venenos agrícolas.





Stédile acredita que a campanha, que dá agora seu pontapé inicial, tem condições de se consolidar e crescer porque "a luz amarela" acendeu depois que o Brasil foi apontado como o campeão mundial do consumo de veneno agrícola em 2009. "É uma questão de saúde pública", observou, ao destacar que as conquistas devem ser alcançadas passo a passo, com um período de transição.

Dois documentários - de 26 minutos cada um - estão sendo realizados pelo cineasta Silvio Tendler visando a expor a realidade vivida hoje no País e casos de doenças provocadas por contaminação de agrotóxicos; cartilhas agrícolas serão confeccionadas e distribuídas para agricultores; e material didático será entregue a professores para discussão em sala de aula.

Estas ações, segundo o líder do MST, fazem parte da estratégia da campanha, que também quer compromissos de governos estaduais e federal, a exemplo da proibição da pulverização de veneno em plantações - evitando a contaminação do ar e da água, além do solo - e a obrigatoriedade de informar ao consumidor, nas gôndolas de supermercados, sobre os agrotóxicos utilizados no cultivo das frutas e verduras comercializados.

 

 

Confira a manifestação do MST em Brasília contra os agrotóxicos.
 

 

fonte: Movimento dos Trabalhadores Sem Terra


08 de abril de 2011