GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Green Nation entrevista a eco-designer Rita Aranha


 

Em busca de pessoas que exerçam papel sustentável na sociedade, o Green Nation escolheu a eco-designer Rita Aranha para falar sobre seus projetos de reciclagem e transformação. Confira a entrevista!
 
Por que você decidiu trabalhar como eco-designer? Já trabalhava nessa área antes?
 
Já possuo formação como designer gráfico, desenho artístico e de propaganda e utilizei os conhecimentos que tenho para agregar valor ao resíduo sólido descartado, de início fazia porque gostava, mas os amigos foram gostando, e resolvi me aperfeiçoar nesse segmento e fiquei encantada com o material desperdiçado que poderia ser transformado. Antes trabalhava como designer .
 
Quais materiais descartados você mais aproveita?
 
Todos os possíveis, garrafa PET, câmara de ar, vidro, embalagens de creme dental, sachês de tinta de cabelo e de extrato de tomate, latinhas de alumínio etc.
 
Em seu blog você mostra que já realizou grandes trabalhos sociais em prol da reciclagem. Como funcionam seus projetos? Quais foram os mais gratificantes até hoje?
 
Sou contratada por algumas empresas para capacitar funcionários e também sou solicitada por instituições não governamentais para formar agentes multiplicadores junto a comunidades de baixa renda. Já participei de vários projetos,  muitos são voltados para jovens, crianças e terceira idade, mas o que mais gostei foi um voltado para senhoras com mais de 40 anos. Trabalhávamos com a produção de bijuterias recicladas e teve um resultado ótimo, foi emocionante.
 
O que mais te inspira na realização desse tipo de trabalho?
 
O que mais me inspira além da possibilidade de transformação do objeto e, consequentemente, o resgate desse material - como eu já retratei em uma exposição “NADA É INSERVÍVEL” -  é o resgate das pessoas que lidam com o lixo, o aumento da auto estima, mostrando que é possível e viável  reciclar  apresentando para ela uma nova perspectiva do que pode ser feito para melhorar e somar na vida de cada um.
 
Na sua opinião a arte é um dos caminhos para o desenvolvimento sustentável? Por que?
 
A arte e a cultura serão sempre elementos fundamentais de intervenção em favor da sustentabilidade. Porque desperta a sensibilidade do ser humano às questões ambientais, aproximando-o sobre os desgastes dos recursos naturais e aumentando o  interesse em querer fazer cada um a sua parte: um efeito osmose que funciona. Eu acredito numa linguagem simples e exemplos práticos como ensinar a fazer o eco sabão, feito de óleo de cozinha saturado e descartado de forma errada dentro da pia e até no vaso sanitário. Só isso já basta para causar impacto e peso na consciência das pessoas.
 
E no seu dia a dia, além da reciclagem o que você faz para contribuir com a preservação ambiental?
 
A reciclagem está tão inserida na minha vida e que é um hábito reciclar, não existe a outra parte, eu me sinto comprometida com as questões ambientais e pratico isso integralmente.  
 
 
Veja também:


02 de maio de 2012