GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Exemplo de Mãe mais Ecológica


Nutricionista formada pela UERJ em 2005, Fernandah Brener também se especializou em Nutrição Esportiva e fez residência em Saúde Coletiva. Logo que se formou, tornou-se vegetariana e iniciou seus estudos na área de alimentação natural. Em 2007 iniciou uma formação em Ayurveda (medicina indiana), que trouxe novos horizontes ao ampliar o conceito de saúde e sustentabilidade, trazendo uma visão holística e integrada do ser humano com a natureza.

Entrevista com a Eco mãe Fernandah Brener:


Sabemos que você optou ter sua filha com uma parteira de forma natural. Por que essa decisão?

Durante toda a história as mulheres tiveram filhos assim. Senti-me mais em contato com a natureza e mais livre. A forma de cócoras é mais anatômica e fiquei mais segura porque tive a presença do meu marido como apoio na hora do parto. Tive a Gaia com a parteira e enfermeira obstetra, Heloísa Lessa, que faz trabalho de parto há mais de 20 anos e desfez vários mitos a respeito do parto natural. Ela acredita que a mãe sabe o que fazer na hora do parto, pois é instinto da mulher. Inclusive tem um longa documentário chamado “O Renascimento do Parto”, que a Heloísa esta participando e será lançado ano que vem.

Como foi seu pré-natal? Você praticava algum exercício? E sua alimentação era certinha?

Fiz ioga para gestantes e hidroginástica. Minha alimentação foi balanceada e de preferência orgânica, com muitas frutas, legumes e verduras. Eu tive alguns desejos também que decidi respeitar, comi ovos orgânicos, laticínios e peixe algumas vezes. Falo isso porque antes de engravidar eu estava totalmente vegetariana.

Você ainda amamenta? Como é essa questão pra você que vive em cidade grande e trabalha fora?

Ainda amamento bem. Minha filha esta com 1 ano e dois meses. Participei de um grupo numa ONG chamada Amigas do Peito e lá fui orientada que a amamentação tem que vir de livre demanda. Essa ONG fortalece a amamentação, tira dúvidas e mostra que todas as mulheres podem amamentar.

Quando a Gaia começou a comer outros alimentos?

Até os 6 meses era apenas o leite materno, o que é recomendado pelos médicos. Depois comecei a dar frutas, vegetais, grãos e ovos orgânicos. Ela também toma o suco luz do sol! (ri).

Como você costuma se locomover com a Gaia? Aliás, por que deu esse nome?

Costumo usar mais o sling, mas às vezes uso carrinho também. Dei esse nome em gratidão a Mãe Terra, da mitologia grega.

Sei que você optou por usar fraldas de pano. É por causa só do meio ambiente? E o que você pensa da ideia de não usar fraldas?

Eu priorizo usar as fraldas de pano durante o dia e uso a descartável apenas para ela dormi. A fralda descartável gera muito lixo ao planeta e não gosto de participar disso. Além do mais tem a questão da saúde, pois nas fraldas descartáveis tem diversas substâncias da fralda que ficam em contato com a pele do bebê. O método de não usar fraldas acho bem interessante, pois os bebês emitem sinais antes de fazer suas necessidades da mesma forma que quando esta com fome. É uma lógica legal, quem sabe na próxima gravidez.
 

E quanto às roupas, você costuma usar tecidos orgânicos ou reaproveitar de outras crianças?

Na verdade ganhei muita roupa e quase não comprei. Mas quando compro, vou a dois brechós bem legais que tem aqui perto de Laranjeiras - o Hora de Reciclar  e O Curumim - é mais econômico e sustentável. Criança perde roupa muito rápido! Até mesmo a cadeira de alimentação eu comprei no brechó.

Quais são os tipos de brinquedo que ela gosta?

Tudo na mão dela vira brinquedo. Ela adora panelas, folhas e até mesmo formiguinhas (ri).
 

E quanto à organização depois da brincadeira?

Eu tento sempre arrumar o quarto junto com ela, mas às vezes é complicado. Ela ainda ta muito novinha.

Então a Gaia é um bebê verde?

Sim. Inclusive minha pasta de arquivos para bebê estava escrito bebês verdes. Tento fazer o melhor dentro contexto urbano.

 

Dicas de sites para uma mãe sustentável:

Morada da Floresta

Heloísa Lessa

Amigas do Peito

Hora de Reciclar

O Curumim

Consciente Alimentação

 


11 de novembro de 2011