GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Entrevista com Léo Valença, cartunista da obra Paredão Quente


Sensibilizar os leitores de maneira divertida sobre os problemas das mudanças climáticas. Léo Valença, famoso cartunista carioca, propagou essa ideia ao lançar o livro"Aquecimento Global em cartuns", que atualmente está sendo vendido pela internet.

Além dessa obra, o cartunista também foi o vencedor da categoria cartum no Green Nation Fest. Eleito pelo juri popular, a criação foi batizada como "Paredão Quente", que faz uma reflexão sobre o aquecimento global nos pólos. Confira a entrevista:

Como foi o processo criativo da obra vencedora? me fale um pouco sobre.
O cartunista é um profissional que está sempre antenado sobre o que acontece ao seu redor, e os problemas que temos hoje de cunho social, político, econômico, ambiental, tem sido fontes de constante inspiração para as minhas criações. Quando um assunto está em destaque, no caso a questão do aquecimento global, mudanças climáticas, eu o pesquiso, procuro imagens, e a partir daí determino como vou desenrolar o tema, o que, com a experiência, a gente acaba fazendo com certa facilidade. O tema do aquecimento nos pólos e a diminuição do habitat dos ursos e pinguins devido ao derretimento das geleiras me inquieta bastante. Sendo assim, procurei através do humor gráfico dar um alerta para a questão. Por mais irreverente que o cartum seja, a idéia foi provocar, fazer o público refletir sobre o problema.

 

Um dos propósitos do Green Nation Fest é estimular a produção de obras voltadas para o tema sustentabilidade. Para você,  de que forma a sua criação pode mobilizar a sociedade a pensar mais sobre o desenvolvimento sustentável?
O cartum como ferramenta da problematização de questões ambientais pode atuar como importante meio de conscientização social acerca dessa temática, principalmente no contexto atual, no qual o planeta carece de novos modelos de gestão dos seus recursos naturais. A agilidade com que a arte ilustrativa transmite conteúdos informativos a um dado observador, que é encarada como sendo muitas vezes superior aquela das informações verbais veiculadas em forma de texto. A velha máxima " uma imagem vale mais que do que mil palavras", por mais desgastada que esteja, com frequência circula no discurso midiático quando se objetiva atestar a soberania da imagem em detrimento do texto. Em outras palavras, o humor gráfico se configura como uma espécie de chamada persuasiva para o leitor como um " Ei, psiu! Veja isso!".
 
 

Sua obra foi uma das escolhidas entre as 764  inscritas. Como é a sensação de ganhar um prêmio escolhido pelo juri popular? Você fez algum tipo de campanha? Que tipo de público você acha que te prestigiou com votos?
É muito gratificante para mim ter o reconhecimento do público na votação pela internet. Divulguei para amigos e contatos da área ambiental que curtem muito o humor gráfico devido ao forte papel que ele desempenha na conscientização que eu descrevi acima.

 

Quanto a responsabilidade socioambiental, você já participou ou participa de algum projeto voltado para as causas ambientais? se sim, me fale um pouco sobre eles.
Já participei anteriomente com a publicação do meu livro "Aquecimento Global em cartuns" em outubro de 2010. Sou organizador desta coletânea de cartuns no qual participam 25 cartunistas que tiveram o desafio de mostrar o risco que o planeta e a humanidade correm com a questão do aquecimento global. Os cartuns abordam o temal com bom humor e bastante irreverência que visa expressar, através do humor gráfico, um alerta sobre a importância da preservação ambiental nos dias atuais. O cartum premiado intitulado " Paredão Quente" está participando do livro.


12 de julho de 2012