GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Energia Solar no Palácio do Planalto?


A ONG 350.org decidiu convocar os presidentes de seis países – considerados primordiais nas negociações climáticas da COP16 – a se envolverem mais diretamente com o uso das energias renováveis.
 

No dia 8 de novembro, a ONG lançou a campanha Começar por Cima, que sugere que os governantes da Austrália, Brasil, Cazaquistão, China, México e Reino Unido instalem painéis solares em suas residências oficiais e/ou locais de trabalho.
 

O Greenpeace já havia se manifestado nesse sentido e, Agosto desse ano. Manifestantes do Greenpeace subiram a rampa do Palácio do Planalto numa manifestação em prol do uso de fontes de energia renováveis no edifício, que foi totalmente reformado recebeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela primeira vez depois da obra. Os integrantes do movimento ambiental trouxeram uma placa de captação solar para presentear Lula.
 

De acordo com André Amaral, coordenador da campanha de energia do Greenpeace, o Palácio do Planalto, símbolo do modernismo brasileiro, deveria ser usado como exemplo de desenvolvimento sustentável e uso de fontes renováveis.
 

“Viemos dar uma placa solar ao presidente Lula para que ele se lembre o tipo de desenvolvimento que queremos. Uma obra como essa deveria ser exemplo e ter usado fontes renováveis. Hoje o Brasil é capaz de produzir mais do que consome somente com o uso da energia solar”, disse na ocasião.


 

A ideia é que os próprios líderes políticos dêem o exemplo para o uso das energias renováveis em seus países e. A  ONG 350.org ainda espera que a implantação de painéis solares nos órgãos públicos sirva de constante lembrete aos políticos sobre a urgência de uma reforma nas matrizes energéticas nacionais.

 

Para saber mais conheça o projeto 350.org, e para pedir ao presidente Lula que ele coloque logo energia solar no Palácio do Plananto conheça o Put Solar.

Mais informações sobre as campanhas e manisfestações em Último Segundo e Planeta Sustentável.

 


17 de novembro de 2010