GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Eco-cidade com cérebro próprio


Portugal planeja construir eco-cidade com cérebro próprio para tomar decisões
Países como os Emirados Árabes e a China já possuem planos de erguer suas próprias eco-cidades (cidades ecológicas), mas a de Portugal deve se tornar a primeira completamente construída até 2015 --a previsão é de que abra as portas já no próximo ano.

Na eco-cidade de Paredes, no distrito do Porto, a água será tratada com energia renovável e os edifícios terão os ecotelhados, cobertos com plantas para reduzir a temperatura local e também para absorver os poluentes e a água proveniente da chuva.
Estas são algumas características semelhantes a outras eco-cidades, mas o diferencial da PlanIT Valley, como é chamada a versão portuguesa, será seu cérebro. O complexo utilizará dados coletados por uma rede de sensores, semelhante a um sistema nervoso, para controlar a geração de energia e da água e o tratamento de resíduos como se fosse um "metabolismo urbano", cita o executivo-chefe da empresa responsável pela execução do projeto, Steven Lewis, da Living Planit.

A grande novidade é que as novas eco-cidades não vão precisar contar só com a boa vontade e conscientização de seus moradores, elas terão “cérebro próprio”. O Brasil também deve investir em sustentabilidade para se destacar no Bric, o novo Software da Embrapa avalia sustentabilidade de fazendas do Pantanal.
Sensores em cada um dos prédios serão capazes de medir a ocupação, a temperatura, a umidade e a energia consumida. E essas informações poderão ser usadas para controlar a cidade toda: se um sensor mostrar que ao nível de água está baixo em um edifício, o sistema vai transferir a água de outro prédio que a tenha em excesso.

A cidade também terá capacidade para reciclar ou transformar em energia 80% do lixo que produzir.  Nem mesmo a separação de lixo que estamos acostumados a fazer com plásticos e vidros será necessária. Todo material passaria por uma central que eliminaria a contaminação orgânica, resultando em mais material reciclável no final do processo.

Saiba mais sobre as Ecocidades no projeto ecocidades.org.
 


14 de outubro de 2010