GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Brasil está entre os países que mais consome agrotóxicos no mundo


O Brasil está na terceira posição no raking dos maiores consumidores de agrotóxico do mundo, de acordo com um levantamento feito pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), baseado em informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo a associação, entre 2010 e 2011, o país comercializou mais de um bilhão de litros de agrotóxicos, sem contar os vendidos clandestinamente. Acredita-se que em regiões agrícolas do Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul e do Paraná, a prática seja comum.

De acordo com  a professora do departamento de Nutrição Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) Fátima Sueli Neto Ribeiro, entre os malefícios desses aditivos nos vegetais está até a obesidade. “Em regiões do Mato Grosso, produtos são aplicados por aviões e podem parar em lençóis freáticos. Há casos de grávidas com agrotóxico no leite e também indícios de câncer. O curioso é que as pessoas comem verdura para evitar a obesidade, mas as interferências de alguns produtos nos hormônios podem facilitá-la” - explica.

Com a intenção de amenizar o problema, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou coletas fiscais de amostras de alimentos em estabelecimentos e produtores para flagrar alimentos com níveis de agrotóxicos acima dos permitidos pela legislação.

Porém, enquanto a fiscalização não for rigorosa, uma das medidas que podem ser tomadas pelo consumidor é continuar se alimentando de forma saudável é consumir mais alimentos orgânicos. “Há mitos de que as feiras orgânicas são mais caras e que os alimentos não são tão bonitos. O que acontece é que os produtores respeitam a safra: assim alimentos que estão nela ficam até mais baratos do que os dos grandes mercados” - afirma a professora.

E para diminuir a quantidade de químicas nos vegetais, Fátima aconselha a lavar e tirar a casca. E se possível comprar produtos orgânicos. “Isso ajudaria a pressionar os mercados que ainda não investem em orgânicos a se movimentarem” - diz .

Fonte:
O Dia


03 de agosto de 2012