GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Bicho do Dia: Secretário-pequeno


Polyboroides typus -  Apesar do nome, o secretário-pequeno e o secretário não são parentes tão próximos. Na verdade, esta ave foi nomeada assim porque apresenta uma crista de penas semelhante a do secretário. Mede até 66 centímetros de comprimento, 1,65 metro de envergadura e pesa até 950 gramas. As fêmeas são maiores do que os machos. A cabeça é pequena e as pernas são longas. A plumagem é predominantemente cinza, com exceção da região ventral, coxas e interior das asas, que apresentam penas rajadas de preto e branco. A pele ao redor dos olhos é nua e amarela, mas torna-se vermelha no período de reprodução. A base do bico e as pernas são amarelas e a ponta do bico é preta. O secretário-pequeno possui uma característica especial que é a dupla articulação dos joelhos, o que permite que essa ave dobre suas pernas tanto para frente como para trás. Isso faz com que consiga procurar comida em buracos e fendas inacessíveis a outros predadores, escalar paredões e se pendurar em ângulos diferentes nos galhos das árvores.


Vive em florestas, matas densas e terrenos montanhosos da África Subsaariana, evitando regiões semiáridas e desertos. É muito comum também em áreas rurais, principalmente em plantações de palmeiras e árvores exóticas. Tem hábitos diurnos e é um animal solitário.

Alimenta-se de répteis, anfíbios, aves, pequenos mamíferos e insetos. Costuma atacar ninhos para comer ovos e filhotes de pássaros. Pode também comer carniça. Além disso, alguns indivíduos costumam comer o fruto de algumas palmeiras. Geralmente caça por emboscada, mas pode também se movimentar com agilidade entre os galhos das árvores e até mesmo ficar pendurado de ponta cabeça para capturar o alimento. 
 
Durante o período de reprodução, o casal realiza uma série de exibições e acrobacias aéreas. Nidifica nas copas de árvores altas ou em fendas em paredões rochosos. Utiliza ramos e gravetos na construção do ninho e o forra com ervas e plumas. A fêmea bota de um a três ovos, que são incubados pelo casal por até 35 dias. Cabe ao macho caçar para os filhotes, mas é a mãe que os alimenta. Os filhotes apresentam plumagem na cor castanho e máscara cinza.
 
Não é uma espécie ameaçada de extinção. É uma das aves de rapinas mais comuns no continente e consegue se adaptar a alterações em seu habitat e até mesmo tirar vantagem deste fato, como em plantações de árvores exóticas, por exemplo.

Conheça o site Notícia Animal.


31 de janeiro de 2014