GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Notícias

Bicho do dia: Rabo-de-junco-estriado


Colius striatus – Mesmo sendo a maior espécie da família dos rabo-de-junco, esta ave não ultrapassa os 35 centímetros de comprimento, sendo que apenas a cauda pode medir 18 centímetros, e pesa apenas 57 gramas. Além de ser o menor, é também o mais comum da família. A coloração é predominantemente marrom, exceto o pescoço, que é negro, apresenta uma crista no topo da cabeça, o bico é negro na parte superior e branco na inferior, e os olhos são avermelhados. Não há dimorfismo sexual.


Apesar de vocalizar muito, o rabo-de-junco-estriado não é conhecido pelo seu belo canto, já que emite sons estridentes e barulhentos. É famoso, no entanto, por sua agilidade em escalar árvores e comportamento acrobático. Consegue “correr” árvore acima, como um rato (tanto que seu nome em inglês é mousebird – pássaro-rato), e até mesmo ficar de ponta cabeça para se alimentar.

É encontrado na África Subsaariana, de Camarões até a África do Sul. Vive em quase todos os habitats, evitando apenas as florestas tropicais e regiões áridas. É também comum em jardins, pomares e quintais em centros urbanos.

Tem hábitos diurnos e gregários. Os membros do bando são muito unidos, inclusive realizando rituais de limpeza das penas uns nos outros e dormindo todos juntos à noite nos galhos das árvores. Costuma descer ao chão para tomar banho de areia e procurar comida. Alimenta-se de frutas, sementes e néctar. Pode ingerir pequenas pedras para auxiliar na digestão.

Apesar de ser uma pequena ave, o ninho do rabo-de-junco-estriado é grande. É construído pelo casal, em formato de taça e composto por material vegetal e animal (às vezes utiliza também panos e pedaços de papel). A fêmea bota de três a quatro ovos, que são incubados por até 14 dias. Ambos os pais auxiliam na criação dos filhotes.

Não é uma espécie ameaçada de extinção. Além de ser comum em seu habitat natural, adaptou-se bem à vida em centros urbanos e próximo às pessoas.

 
Conheça o site Notícia Animal


22 de janeiro de 2014