GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Dicas

Abaixo assinados pela sustentabilidade


Adaptado a web, o abaixo assinado online tem tido resultados impressionantes e mudado o rumo de grandes questões ao redor do planeta. Por isso o GreenNation preparou uma dica com abaixo assinados relevantes ao meio ambiente e a sustentabilidade, na intenção de facilitar que o nosso leitor participe ativamente desses movimentos.

 

SOS Rio Pelotas 

O rio Pelotas precisa de você!

Participe do abaixo-assinado em prol da criação do Refúgio de Vida Silvestre "Corredor do Pelotas" e contra a construção da Usina Hidrelétrica de Paiquerê. Ajude a proteger um dos poucos remanescentes da floresta com araucárias.

O texto:

Nós abaixo-assinados solicitamos a criação imediata da Unidade de Conservação Refúgio de Vida Silvestre "Corredor do Pelotas" e nos manifestamos contrários à construção da Usina Hidrelétrica de Pai Querê, por entendermos de fundamental importância a preservação dessa área para a conservação da diversidade biológica, cultural e histórica da região. Não podemos permitir que erros como os de Barra Grande se repitam.

Assine aqui.

 

 

SALVE o Rio da Prata

Participe do abaixo-assinado em prol da criação do Refúgio de Vida Silvestre do Rio da Prata.

O texto:

Nós abaixo-assinados solicitamos a IMEDIATA CRIAÇÃO do Refúgio de Vida Silvestre do Rio da Prata, como única forma de conservar toda essa importante região para a biodiversidade e qualidade de vida humana. Ao mesmo tempo, solicitamos ainda que os responsáveis pelos desmatamentos na região sejam exemplarmente punidos e que a fiscalização seja constante.

Assine aqui.

 

 

MANIFESTO PELA VIA SUSTENTÁVEL

Nós abaixo assinados, cidadãos amigos da cidade do Rio de Janeiro, somos contra o gasto de verbas que priorizam o transporte individual. Em acordo com as novas tendências das políticas de sustentabilidade amplamente divulgadas na comunidade global, defendemos o investimento em transporte público de qualidade.

Propomos que a Parceria Público Privada - PPP de R$ 7 bilhões do Porto Maravilha, que tem enfoque na circulação de automóveis, seja revista. É urgente dar prioridade à implantação de transporte de grande e média capacidade movido a energia limpa, seguindo a tendência mundial de unir tecnologia de ponta com integração social. O objetivo é mudar o modelo rodoviarista para reverter a insustentabilidade do transporte em veículos particulares que ocasionam engarrafamentos, acidentes, estresse, poluição sonora e do ar, externalidades que afetam a qualidade de vida e impactam na saúde da população, além de onerar os cofres públicos. Custos esses, que podem e devem ser valorados e considerados no longo prazo.

 O projeto é viável economicamente, pois se paga em poucos anos, deixando de haver gastos públicos nas externalidades causadas pelo transporte individual na paisagem e nas pessoas.

Além disso, o projeto é capaz de colocar a cidade do Rio de Janeiro entre os exemplos de boas práticas de sustentabilidade no mundo, reforçando o seu potencial turístico e atraindo investimentos das mais diversas naturezas, em vez de criar um novo “elefante branco” para a cidade. A parceria, como foi aprovada, é muito pouco prática, e não será capaz de inserir a cidade nas novas dinâmicas de gestão sustentável dos grandes centros urbanos. Será apenas festim, sem efeito contundente algum para as políticas de transporte da cidade.

Assine aqui.

 

 

PEDIDO DE APROVAÇÃO DA PEC 115-150/95, COLOCANDO OS BIOMAS CERRADO e CAATINGA COMO PATRIMÔNIO NACIONAL!

Desmatamentos, queimadas, carvão e monocultura. Estes são apenas algumas das causas da extinção dos Biomas Cerrado e Caatinga. Juntos ocupam 33,3% do território nacional, considerado um dos biomas mais antigos do planeta, com uma biodiversidade única, singular, sem igual em todo o mundo, pesquisadores do Instituto do Trópico Sub-Úmido da Universidade Católica de Goiás, alertar para o fato de que o Cerrado irá desaparecer em alguns anos. Talvez em 2030 já não exista resquício destes biomas.
Na revisão da Constituição Federal em 1988 foram reconhecidos como Patrimônio Nacional, ganhando leis de proteção, os biomas: Mata Atlântica, Zona Costeira, Pantanal e Amazônia.
Para corrigir esta injustiça, em 1995 foi apresentada a Proposta de Emenda Constitucional, pelo Deputado Federal Pedro Wilson (PT/GO), tornando o Cerrado e a Caatinga patrimônio nacional. Após 12 anos de espera, a Proposta de Emenda Constitucional 115/150/95, com algumas outras emendas anexadas, finalmente poderá ser votada. A participação e opinião de todos e todas independente da condição partidária, religiosa e ideológica é de fundamental importância.

Assine aqui.

 

 

Para governantes dos EUA e UE:

Nós pedimos que vocês proíbam agrotóxicos à base de neonicotinóide até que novos estudos científicos independentes comprovem que esta substância é segura. A morte catastrófica de colônias de abelhas poderão colocar toda a nossa cadeia alimentar em perigo. Se você agir urgentemente com precaução, nós poderemos salvar as abelhas da extinção.

Assine aqui.

 

 

Monsanto VS. Mãe Terra

A Monsanto é uma empresa norte-americana de produção de alimentos e biotecnologia que tem braços espalhados por todo o mundo. Conhecida por suas alterações genéticas em alimentos, eles tentando adquirir patentes sobre as variações dos vegetais e frutos usados em nosso dia-a-dia, assim como dos naturais, baseados em algumas brechas na legislação europeia. Isso resultaria em um monopólio de alimentos como o tomate, o pepino, o brocólis e o melão, fazendo com que os produtores tivessem que pagar "direitos autorais" por esses que são produtos básicos do nosso dia-a-dia.

Muitos fazendeiros e políticos são contra a absurda proposta da Monsanto de patentear nossos alimentos, e por isso eles fizeram um abaixo-assinado no site Avaaz, chamando o poder popular para fazer pressão na empresa, e mudar o curso de ação do governo. Para assiná-lo, basta clicar aqui.

 

 

Cana-de-açúcar na Amazônia: NÃO!

Visando aumentar a produção do etanol no Brasil, parte do Senado quer autorizar o plantio da Cana-de-acúçar em áreas da Amazônia legal. Tal ação pode ser catastrófica, já que isso abre prerrogativa para uma mudança em regiões da floresta, já que além de ser uma monocultura, o que acarretaria no desmatamento de espécies nativas, isso muda a dinâmica também da fauna local. Além disso, a Amazônia é uma região rica em biomas e também o lar de diversas populações indígenas, que perderão ainda mais espaço para os interesses econômicos dos políticos.

Foi pensando nesses fatos que a ONG ActionAid Brasil criou o abaixo assinado "Cana-de-açúcar na Amazônia: NÃO!", que pretende fazer pressão nos senadores que são a favor dessa ideia estúpida.  Ele visa a alteração do projeto para uma maior proteção de nossa floresta, e será enviado para o Senado quando conseguirem duzentas mil assinaturas. A floresta não pode sofrer por causa da cana-de-açucar. Para assinar o abaixo assinado, basta clicar aqui.

 


Publique A Verdade Sobre o Clima

Rupert Murdoch, o barão da mídia, é dono de centenas de veículos de comunicação, incluindo a rede ultra-conservadora de notícias Fox News e o Wall Street Journal. Usando sua influência sobre os meios de comunicação, ele tentou ajudar seus parceiros na indústria petroleira a impedir que governos diminuissem os lucros destas empresas com um estudo produzido e patrocinado por suas empresas. Somente nos EUA, cerca de 80% – um índice absurdo – das notícias sobre mudanças climáticas em jornais de Murdoch induziram os leitores ao erro no que diz respeito ao aquecimento global! O Abaixo assinado aconteceu aqui.

 

 

Síria: um futuro mais brilhante

Mais de 6 milhões de sírios já fugiram das áreas de conflito, muitos deles crianças. Em muitas guerras, as crianças se tornam uma "geração perdida", que sabe mais de armas do que de livros, privadas da chance de construir uma vida melhor. Mas, desta vez, existe um plano para mudar isso. 

Malala Yousafzai, a menina paquistanesa de 16 anos que luta pela educação de jovens, e Gordon Brown, enviado da ONU para a educação, se juntaram ao Avazz para lançar um desafio aos governos do mundo: se conseguirem arrecadar $1 milhão, vão fazer um apelo a cada um dos países com programas de ajuda humanitária para que eles depositem 10 vezes o valor do que arrecadaram em um fundo pela educação, e levantar mais de $100 milhões para dar início a um projeto que pretende colocar todas as crianças sírias refugiadas nas escolas. 
 
Para assinar o Abaixo Assinado clique aqui.

 

 

Não Foi Acidente

Nosso governo gasta R$ 8 bi/ano em uma guerra que enfrentamos diariamente no Brasil: as imprudências no trânsito. São cerca de 40 mil vítimas de acidentes de transporte por ano. Dessas, 40% são decorrentes do álcool na direção. É também a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos em nosso país.
 
Rafael Baltresca teve a mãe e a irmã mortas no dia 17/09/11, vítimas de um atropelamento por um carro em alta velocidade, em São Paulo. O atropelador, Marcos Alexandre Martins, se recusou a fazer o exame do bafômetro, mas fez exame de sangue. No B.O., testemunhas afirmam que Marcos estava completamente embriagado. Frente a esta situação e à realidade que o Brasil enfrenta, Rafael Baltresca e amigos (Avair Gambel, Manuel Fernandes, Rosmary Mariano, Maria Luiza Hausch e Nilton Gurman) criaram o movimento Não Foi Acidente, com o objetivo de mudar as leis brasileiras que abrem tantas portas para a impunidade. Após isto, centenas de brasileiros se uniram à causa.
 
O que querem ? Mudar nossas leis de trânsito, as quais tem tantas brechas e são tão permissivas no Brasil.O movimento Não Foi Acidente lutará sempre por mais educação de trânsito e campanhas de conscientização, porém, sabemos que se as leis continuarem tão fracas como estão, esta “guerra civil” em que vivemos não acabará tão cedo.
 
Para assinar a petição, clique aqui


11 de julho de 2013